Paraná

Preço do combustível só será reduzido se houver reforma tributária, diz Ratinho

“ICMS não é reajustado há 5 anos e combustível subiu 41% apenas em 2021” justifica...

31 mai 21 - 09h47 Redação SOT
Preço do combustível só será reduzido se houver reforma tributária, diz Ratinho

Questionado sobre a possibilidade de cortar o Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS) dos combustíveis, o Govenador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Junior justificou que o alto preço não está diretamente relacionado ao imposto.

Segundo o governador, o estado não reajusta o ICMS há 5 anos e os combustíveis subiram 41% apenas em 2021. “É uma informação desencontrada, o Paraná não reajusta o ICMS há cinco anos, e a gasolina e o diesel subiram 41% apenas esse ano. É difícil as pessoas compreenderem, mas combustível é dólar, igual ao soja, sobe o dólar no Brasil, o combustível sobe também” explicou o governador.

Para o Governador, a única possibilidade de redução do preço é por meio de uma reforma tributária. “Não podemos enganar a população, é só a reforma tributária (para reduzir o preço), com ela você consegue organizar, primeiro simplificar o tributo, não só o estadual, mas também o municipal e o federal, que é muito complexo, e automaticamente organizar a cadeia de arrecadação” salientou.

Ratinho Junior disse que para que seja possível controlar o preço, seria necessário transferir a arrecadação de imposto para as refinarias e não dos postos de combustíveis. “Eu até sugeri para o presidente, na reunião que eu tive sobre o pedágio, que a tributação não deve ser no posto de combustível, tem que ser na distribuidora, porque na distribuidora é possível inclusive combater a sonegação, é muito mais fácil fiscalizar 10 distribuidoras que tem no Brasil do que 1 milhão de postos” ponderou.

Via: Redação/Radio Cultura Foz - Foto: Divulgação


Whatsapp Portal Sot - Envie sugestões de Pautas, Fotos ou Videos, ou entre em nosso grupo do WhatsApp e recebe as principais notícias em primeira mão: bit.ly/3twq87I 



Postagens Relacionadas
Publicar um comentário:
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.