Brasil

No Senado, Greta Thunberg diz que atuação de líderes do Brasil no meio ambiente é 'vergonhosa'

Ativista participou nesta sexta (10) de sessão temática do Senado sobre dados do Pa...

12 set 21 - 13h55 Atualizado 12 set 21 - 13h56 Redação SOT

Relatório divulgado pelo Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas, ligado às Nações Unidas, foi debatido nesta sexta-feira (10) em uma sessão temática no Plenário do Senado.

Atitudes ambientalmente conscientes do Brasil foram cobradas por debatedores brasileiros e estrangeiros, como a ativista sueca Greta Thunberg.

Greta Thunberg, de 18 anos, é uma ativista sueca que ganhou fama e inspirou movimentos estudantis na luta contra o aquecimento global e em defesa da natureza. Em 2019, Greta foi eleita personalidade do ano pela revista Time.

"[...] as coisas que os líderes do Brasil estão fazendo agora são completamente vergonhosas. Especialmente à luz da maneira como vem tratando os povos indígenas e a natureza", disse a ativista durante uma sessão temática do Senado Federal sobre os dados do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas da Organização das Nações Unidas (ONU).

O relatório mais recente do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas foi divulgado no início do mês de agosto. O documento concluiu que as mudanças climáticas causadas pelos seres humanos são irrefutáveis, irreversíveis e levaram a um aumento de 1,07º na temperatura do planeta.

Greta disse também que o Brasil não começou a crise climática e ecológica, mas que os líderes locais "estão adicionando muito combustível ao incêndio".

"O Brasil, com certeza, não começou essa crise. Mas os seus líderes estão adicionando muito combustível ao incêndio. E só porque os líderes do norte global falharam — e, sim, eles estão falhando — não há desculpa para o Brasil não ter um papel diferente", afirmou.

A ativista afirmou também que estudos apontam que, em partes da Amazônia, o volume de carbono absorvido é menor do que o emitido, devido a incêndios florestais iniciados por humanos e desmatamentos legais e ilegais, e que a ação do governo brasileiro com relação a esta situação é de apenas assistir e, até mesmo, alimentar o que está acontecendo.

"E isso está acontecendo com vocês assistindo. Na verdade, está sendo diretamente alimentado pelo governo de vocês. Mas o mundo não pode pagar o preço de perder a Amazônia. Se nós perdermos a Amazônia, provavelmente iremos perder todas as possibilidades de alcançar o Acordo de Paris. E isso seria uma sentença de morte para incontáveis pessoas e incontáveis partes do mundo, não menos importante, no Brasil", afirmou.

Via: Redação/Agência Senado/G1 - Foto: Divulgação


Whatsapp Portal Sot - Envie sugestões de Pautas, Fotos ou Videos, ou entre em nosso grupo do WhatsApp e recebe as principais notícias em primeira mão: bit.ly/3twq87I 



Postagens Relacionadas
Publicar um comentário:
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.