Cascavel

Debate propõe uma rede de apoio emocional aos universitários de Cascavel

Entre os presentes, estavam: Angelo Mazzucchi Santana Ferreira, promotor na Promoto...

27 nov 21 - 23h24 Redação SOT
Debate propõe uma rede de apoio emocional aos universitários de Cascavel

O sofrimento emocional dos estudantes do ensino superior em Cascavel foi tema do debate público promovido na noite de quinta-feira (25) pelo mandato da vereadora Professora Liliam (PT). Participaram representantes dos estudantes universitários, bem como dos núcleos de atendimento das instituições de ensino superior, Conselho Municipal de Saúde, Secretaria Municipal de Saúde e Ministério Público.

Entre os presentes, estavam: Angelo Mazzucchi Santana Ferreira, promotor na Promotoria de Saúde do Ministério Público; Elton José Munchen, presidente do Conselho Municipal de Saúde; Eliane Terezinha Giacomelli, coordenadora do Núcleo de Rede Saúde Mental da Secretaria Municipal de Saúde; Vanessa, representando Hudson Moreschi, secretário de Assistência Social; João Matheus Moraes, presidente do Conselho de Assistência Estudantil da Universidade do Oeste do Paraná (Unioeste); Mônica Andressa Silveira, assessora técnica de Assistência Estudantil da Unioeste; Dyeniffer Jessica Bezerra Parisoto, do Centro de Psicologia Aplicada (CPA) da Universidade Paranaense (Unipar); a professora e vereadora Beth Leal (Republicanos), que representou o Centro Universitário Univel; Patrícia Barth Radaelli, psicóloga do Núcleo de Atendimento e Apoio ao Estudante (NAAE) do Centro Universitário da Fundação Assis Gurgacz (FAG); Jéssica Fernanda Wessler Ferreira, assistente social do Instituto Federal do Paraná (IFPR); reverendo anglicano Luiz Carlos Gabas, do Centro de Direitos Humanos, e o ex-vereador e atual suplente Fernando Hallberg (PDT).

Ao fazer a abertura do debate, a Professora Liliam falou de sua experiência pessoal com o tema. “Sou professora há 31 anos, e por seis anos fui pró-reitora de Graduação da Unioeste. Eu vivenciei, na lógica da administração e fora da sala de aula, a dimensão desse sofrimento emocional. Vivenciei questões bastante graves e que poderiam ser menos graves se a gente construísse, na instituição, condições de acolhimento das dificuldades que os estudantes trazem”, relatou ela.

Os presentes ao debate aprovaram dois encaminhamentos:

Primeiro, a constituição de um grupo de trabalho formado pelos núcleos de assistência estudantil e um representante estudante de cada uma das instituições de ensino superior de Cascavel. Esse grupo se reunirá em 27 de janeiro de 2022 para relacionarem as ações que já implementam, na direção de atender as demandas do sofrimento emocional dos estudantes. Entender como cada uma atua, com quais ferramentas e com quais resultados.

O segundo encaminhamento é a realização, em 17 de fevereiro, de uma nova reunião com o conjunto de representações deste primeiro encontro, acrescido de interessados, considerando que será novamente uma reunião aberta. A pauta de fevereiro será entender as ações e pensar qual a possibilidade de construir uma padronização e um fluxograma na direção da construção de uma rede de apoio ao estudante da educação superior.

Via: Assessoria de Imprensa/CMC- Foto: Flavio Ulsenheimer


Whatsapp Portal Sot - Envie sugestões de Pautas, Fotos ou Videos, ou entre em nosso grupo do WhatsApp e recebe as principais notícias em primeira mão: bit.ly/3twq87I 



Postagens Relacionadas
Publicar um comentário:
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.