Brasil

"Meu pai bate na minha mãe", escreve menina em pedido de socorro durante prova

Uma equipe da Polícia Civil foi encaminhada para o endereço que a menina escreveu n...

03 dez 21 - 16h12 Redação SOT
"Meu pai bate na minha mãe", escreve menina em pedido de socorro durante prova

Uma menina de 13 anos escreveu um pedido de socorro em uma prova da escola. Na declaração, a garota diz que a mãe é vítima de violência doméstica. O caso ocorreu no município de Vale do Anari, em Rondônia. A foto com o recado viralizou nas redes sociais. "Por favor, me ajuda. Meu pai bate na minha mãe. Chama pra mim a polícia", dizia o recado deixado na prova.

De acordo com o portal G1, uma equipe da Polícia Civil foi encaminhada para o endereço que a menina escreveu na prova. Ao chegar na residência, no entanto, os agentes policiais tiveram que insistir pacientemente para que a mulher fosse retirada do ambiente de violência doméstica. "Ela nunca denunciou as agressões. Quando a polícia era chamada lá, ela negava que era agredida. Ela está totalmente afetada emocionalmente por conta das agressões", contou o delegado responsável pelo caso André Kondageski.

Segundo os policiais civis, foi preciso mais de cinco horas de conversa para que a mulher decidisse sair da casa onde morava. "A gente buscou amparar ela, dar apoio. Ela não falava quase nada. Foi bem complicada a oitiva dela. Ela foi encaminhada para fazer o exame de corpo de delito, mas se recusou a tirar a roupa para o médico", conta. 

De acordo com relato do delegado André Kondageski, as agressões físicas e psicológicas começaram quando o casal ainda morava no Paraná. O agressor teria começado a culpar a mulher por conta da morte do primeiro filho deles. "Eles tiveram um filho lá no Paraná, onde moravam. O bebê, que tinha entre um e dois anos, foi até um paiol, ingeriu veneno de rato e morreu. Desde então, ele começou uma pressão e tortura psicológica sobre ela", explicou o policial.

Além da filha de 13 anos, que escreveu o pedido de socorro, o casal também tem duas filhas, de 16 e 14 anos, além de um menino de 8 anos. Eles estão sendo abrigados sob responsabilidade do Conselho Tutelar. Já a mãe foi encaminhada para a casa de parentes.

"A vítima nega que o marido batia nas crianças, mas uma das adolescentes disse que ele agrediu uma das meninas e depois mandou as crianças embora de casa, o que é abandono de incapaz", afirmou o delegado. Em depoimento, os filhos relataram que, após terem sido expulsos de casa, pediram ajuda a funcionários de uma rádio no Vale do Anari. Após isso, foram encaminhadas ao Conselho Tutelar. 

Foi solicitado pelo delegado que a vítima seja acompanhada por um psicólogo e um assistente social. Até o momento, o suspeito das agressões não foi preso. O inquérito segue em construção na Justiça. A vítima, o agressor e os filhos foram ouvidos. Testemunhas ainda concederão depoimento.

Via: G1 - Foto: Divulgação


Whatsapp Portal Sot - Envie sugestões de Pautas, Fotos ou Videos, ou entre em nosso grupo do WhatsApp e recebe as principais notícias em primeira mão: bit.ly/3twq87I 



Postagens Relacionadas
Publicar um comentário:
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.