Paraná

Janeiro Verde: Uopeccan alerta para prevenção do câncer de colo do útero

Atividade sexual precoce, múltiplos parceiros, tabagismo e uso prolongado de pílula...

06 jan 22 - 16h41 Redação SOT
Janeiro Verde: Uopeccan alerta para prevenção do câncer de colo do útero

Existem algumas doenças que não apresentam sinais e sintomas em sua fase inicial, como é o caso do câncer de colo do útero. Em estágio avançado pode apresentar sangramento vaginal anormal ou após a menopausa, dor durante a relação sexual, menstruação mais longa que o habitual, secreção vaginal com sangue e dor na região pélvica. O Janeiro Verde é dedicado para combater essa neoplasia, por conta disso, o Hospital do Câncer Uopeccan traz orientações sobre prevenção desse terceiro tumor maligno mais frequente nas mulheres, atrás apenas do de mama e do colorretal.

Atividade sexual precoce, múltiplos parceiros, tabagismo e uso prolongado de pílulas anticoncepcionais aumenta o risco da contaminação de infecção de alguns tipos de HPV (papilomavírus humano). De acordo com o cirurgião oncológico Paulo Henrique Dondoni, nem todas as mulheres que foram infectadas com o HPV desenvolverão câncer de colo do útero. “Aproximadamente 50% das mulheres sexualmente ativas entram em contato com o HPV em algum momento da vida. A maioria das infecções são transitórias e a mulher desenvolve imunidade contra a infecção. Apenas uma pequena parcela chegará na fase crônica que poderá ocasionar o câncer de colo do útero”, explicou o médico.

Exame preventivo - As alterações dos vírus são descobertas facilmente no exame preventivo (conhecido também como papanicolau), e colposcopia com biópsia dirigida para confirmação anatomopatológica da doença. “A infecção pelo HPV é uma condição necessária, porém não suficiente, para o desenvolvimento do câncer de colo do útero. O vírus HPV está presente em aproximadamente 98% dos casos de câncer de colo do útero”, acrescentou Dondoni.

Mulheres de 25 a 64 anos e que já tiveram atividade sexual podem realizar o exame a cada três anos. Para maior segurança do diagnóstico, os dois primeiros exames devem ser anuais. Lembrando que para não haver alteração no resultado, a pessoa não deve ter tido relações sexuais (mesmo com camisinha) no dia anterior ao exame e evitar o uso de duchas, medicamentos vaginais e anticoncepcionais locais nas 48 horas anteriores da sua realização. É importante também não estar menstruada, porque a presença de sangue pode alterar o resultado. Mulheres grávidas também podem se submeter ao exame, sem prejuízo para sua saúde ou a do bebê.

Vacina contra HPV - A vacinação contra o HPV é indicada antes do início da vida sexual. Por essa razão, a vacina faz parte do calendário do Ministério da Saúde para crianças e adolescentes. A recomendação é que as meninas recebam as duas doses entre 9 e 14 anos e os meninos entre 11 e 14 anos. Se seu filho(a) está nessa faixa etária, basta procurar a Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima da sua casa. Quanto antes o imunizante for aplicado, maior será a chance de se precaver e não desenvolver o tumor quando adulto.

Via: Assessoria Uopeccan - Foto: Divulgação


Whatsapp Portal Sot - Envie sugestões de Pautas, Fotos ou Videos, ou entre em nosso grupo do WhatsApp e recebe as principais notícias em primeira mão: bit.ly/3twq87I 



Postagens Relacionadas
Publicar um comentário:
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.