Cascavel

Câncer de colo do útero: saiba o que causa e como prevenir

A faixa etária atingida por esse tipo de câncer são mulheres entre 25 e 65 anos, co...

19 jan 21 - 20h14 Redação SOT
Câncer de colo do útero: saiba o que causa e como prevenir

O janeiro verde faz um alerta sobre o câncer de colo do útero. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), esse é o terceiro tumor mais frequente nas mulheres, atrás do câncer de mama e do colorretal, e a quarta causa de morte de mulheres por câncer no Brasil. A faixa etária atingida por esse tipo de câncer são mulheres entre 25 e 65 anos, com maior número de casos entre 45 e 50 anos.

O cirurgião oncológico da Uopeccan de Umuarama, Erico Neimar Ferneda, alerta que no início da doença geralmente não há sintomas. “É preciso que a mulher fique atenta e realize periodicamente os exames preventivos para se prevenir. A detecção do câncer em estágio inicial ou em sua fase precursora (neoplasia intraepitelial cervical), tem 100% chances de cura quando é descoberto. Já em casos mais avançados, pode ocorrer sangramento vaginal espontâneo ou após relação sexual, dor pélvica e abdominal, corrimento de odor fétido, além de alterações urinárias e gastrointestinais”, orienta o médico.

O câncer de colo de útero é causado pela infecção de alguns tipos de papilomavírus humano (HPV), ocorrendo pelo contato direto com pele ou mucosa infectada. A vacinação contra HPV e o uso de preservativo são fundamentais para diminuir o risco de transmissão durante as relações sexuais. O principal exame é a colpocitologia oncótica (Papanicolau) que toda mulher entre 25 anos (ou após o terceiro ano do início da atividade sexual) e 64 anos que tem ou já teve vida sexual ativa deve fazer. Entre 25 e 30 anos, realiza-se o exame anualmente. Após os 30 anos, com dois exames anuais consecutivos normais, deve-se realizar um exame a cada três anos até os 64 anos.

O tratamento do câncer de colo uterino ocorre por três modalidades terapêuticas: cirurgia, radioterapia e quimioterapia. “Essas formas de tratamento podem ser usadas de forma isolada ou combinadas, dependendo do estágio da doença no momento do diagnóstico”, explica o médico, cirurgião oncológico Paulo Henrique Dondoni da Uopeccan de Cascavel.

Via: Assessoria Uopeccan - Foto: Divulgação


Whatsapp Portal Sot - Envie sugestões de Pautas, Fotos ou Videos, ou entre em nosso grupo do WhatsApp e recebe as principais notícias em primeira mão: bit.ly/3twq87I 



Postagens Relacionadas
Publicar um comentário:
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.