Paraná

Presos fazem ‘live’ para reclamar da superlotação e da situação da cadeia de Sarandi

Entre as reclamações dos presos está a superlotação do presídio. Os presos também r...

17 dez 21 - 13h11 Atualizado 17 dez 21 - 13h13 Luiz Felipe Max

Presos da cadeia pública de Sarandi, no norte do Paraná, fizeram uma transmissão ao vivo na noite de quinta-feira (16) para reclamar da situação do presídio. O Departamento Penitenciário do Paraná (Depen-PR) informou que uma fuga foi frustrada na manhã dessa sexta-feira (17).

Entre as reclamações dos presos está a superlotação do presídio. Os presos também reclamaram do tratamento que estão recebendo pelos agentes.

“O chefe de segurança vem todo ano oprimindo nós e nossos familiares. Dessa forma aí, vocês acham que a gente vai melhorar? Tá formando monstro nessa unidade”, afirmou um dos presos.

Além disso, um detento afirmou que os presos chegam a pagar R$ 10 mil para agentes de segurança liberarem celulares para uso dentro do presídio.

“Eles fizeram da cadeia uma firma. Nesse momento a cadeia tá um barril de pólvora e uma hora vai estourar”, disse um detento.

A Polícia Civil instaurou um inquérito para apurar as denúncias apresentadas pelos presos.

O que diz o Depen - O Depen-PR informou que fez uma operação durante esta sexta para a retirada de aparelhos celulares e outros itens ilícitos. Além disso, o órgão afirmou que muitas das reclamações dos presos são improcedentes.

Em relação à superlotação da cadeia, o Depen-PR reconheceu que há excesso de presos, mas disse que está fazendo a transferência de detentos para outras unidades. Sobre as visitas, o órgão informou que existe a restrição por causa da pandemia de Covid-19.

O Depen-PR disse ainda que os responsáveis pela transmissão ao vivo irão responder criminalmente e administrativamente pela conduta.

Via: Portal G1 - Foto: Divulgação


Envie sugestões de Pautas, Fotos, Videos, ou Participe do grupo no WhatsApp ou do nosso Canal no Telegram receba as principais notícias do oeste do Paraná em primeira mão! 

CANAL NO WHATSAPP  -  CANAL DO TELEGRAM - GOOGLE NEWS 



Leia Também:
Publicar um comentário:
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.