Cascavel

Cascavel sedia 1º Seminário Técnico Intersetorial do Idoso para debater políticas públicas

Evento reúne especialistas para discutir ações que garantam qualidade de vida à pop...

25 jun 24 - 15h24 Redação SOT
Cascavel sedia 1º Seminário Técnico Intersetorial do Idoso para debater políticas públicas

O 1º Seminário Técnico Intersetorial Macrorregional do Idoso foi aberto na manhã de hoje (25) no Teatro Municipal Sefrin Filho, em Cascavel. O prefeito Leonaldo Paranhos participou do evento e destacou que o Estatuto do Idoso é uma ferramenta fundamental, mas que é preciso garantir a entrega de serviços que assegurem qualidade de vida.

“Cascavel tomou uma decisão que iria transformar essa cidade numa cidade amiga do idoso. Amigo é aquele que cuida, que ama, que sofre junto nos momentos de dificuldade. Eu estou muito feliz com esse seminário em que a gente debate aqui, as pessoas, os seres humanos”, enfatizou.

Com o tema “Idoso: você é ou será um”, o evento tem como pilares de discussão a Saúde, Assistência Social, Educação, Esporte, Cultura, Trânsito, Desenvolvimento Econômico e Conselho dos Direitos da Pessoa Idosa. Cascavel tem mais de 63 mil idosos, o que reforça a importância de discutir políticas públicas para essa parcela da população.

O seminário tem como foco o debate acerca dos direitos sociais e humanos do idoso, para a construção da sua cidadania, para uma população que é dependente das políticas públicas.

“Nós estamos falando de uma política pública para pessoas que deram as suas vidas em prol das nossas cidades. Eu fico muito feliz em sediar aqui na nossa cidade uma discussão daquilo que Cascavel pode testemunhar, que deu certo e que pode ser expandido. As pessoas precisam ser atendidas com amor, com solidariedade”, destacou Paranhos.

O vice-prefeito Renato Silva disse que o cuidado com o idoso precisa ser permanente.

“Precisamos estar permanentemente vigilantes, atentos, apoiando, recebendo essas pessoas que fizeram toda a diferença e fazem a cidade mais avançada. São extremamente importantes, são queridos, lutaram, desbravaram, são exemplos, são modelos, são conselheiros. A gente respeita, cuida, ama essas pessoas que são importantes na vida da nossa cidade e na vida da gente."

O secretário de Saúde Miroslau Bailak disse que o propósito do seminário é discutir ações e políticas públicas para melhorar a qualidade de vida da população idosa em todos os pilares.

“Técnicos especializados de 93 municípios estão organizados hoje para discutir estas políticas, que serão o grande pontapé inicial para amarrar o cadarço entre essas cidades, fazer com que elas se credenciem como cidades e comunidades amigas dos idosos, que é um programa previsto pela Organização Mundial da Saúde, conduzido aqui no Brasil pela Organização Panamericana de Saúde”, explica.

Cristina Hoffmann, consultora da Organização Panamericana de Saúde, destacou que o tema é muito importante pelo fato de o Brasil ter visto sua população de idosos aumentar.

“Hoje a gente já faz parte de cerca de 15,8% da população, e isso é muito importante porque mostra que nós estamos avançando em muitos aspectos nas políticas, mas o maior desafio é que nós transformemos os espaços, as cidades, as comunidades em espaços mais apoiadores, que respondam às necessidades das pessoas idosas, que articulem as suas políticas. As políticas intersetoriais são fundamentais para atender às necessidades das pessoas idosas”, afirmou.

A enfermeira Gisele Rocha, responsável pela Divisão de Atenção à Saúde da Pessoa Idosa na Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), diz que o momento é de transição demográfica com aumento acelerado da população idosa no País.

“Aqui no Paraná, do último censo de 2010 para 2022, nós tivemos um incremento de 722 mil idosos e isso acarreta na preparação dos municípios e das secretarias municipais de Saúde como um todo, no cuidado dessas pessoas, mas um cuidado integrado, centrado na pessoa, visando que eles tenham um envelhecimento saudável, ativo”, observa.

Leandre Dal Ponte, Secretária de Estado da Mulher, Igualdade Racial e Pessoa Idosa do Paraná, também destaca a transição demográfica.

“O país está envelhecendo muito rapidamente e o Paraná, com a qualidade de vida que tem, mais ainda, porque nós crescemos numa taxa maior do que o Brasil em relação a 2010, quando foi feito o último censo. E isso traz grandes desafios, mas também traz oportunidades. Então a gente pode fazer um evento como esse, onde também os gestores públicos possam estar mais conectados no sentido de poder fazer um intercâmbio de informações. Nós temos aqui no Paraná o maior número de cidades que pertencem à rede global da Organização Mundial da Saúde de Cidades Amigas da Pessoa Idosa. São 34 cidades do Paraná e 43 no Brasil”, diz.

Programas - Cascavel é referência em políticas públicas voltadas à pessoa idosa. Entre os vários programas desenvolvidos destacam-se o FeliCidade do Idoso, Cascavel Caridoso, Hidroginástica, musculação, nutricionista e pilates,  Programa de valorização de 800 pioneiros, Gratuidade no transporte para 35 mil idosos, Construção da Sede da Cidade do Idoso,  EJA - Educação para milhares de idosos, Atendimentos BPC nos CRAS e  diversas políticas públicas descentralizadas.

Via: SOT/Luiz Felipe Max - Foto: Divulgação


Envie sugestões de Pautas, Fotos, Videos, ou Participe do grupo no WhatsApp ou do nosso Canal no Telegram receba as principais notícias do oeste do Paraná em primeira mão! 

CANAL NO WHATSAPP  -  CANAL DO TELEGRAM - GOOGLE NEWS 



Leia Também:
Publicar um comentário:
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.